quinta-feira, 2 de maio de 2013

Introdução aos estudos da História


Uma das necessidades do estudante de História é compreender o contexto em que os fatos ocorreram. Para isso, é importante que ele entenda como é constituído o tempo histórico.
        Os maiores períodos de divisão do tempo são as décadas (10 anos), séculos (100 anos) e milênios (1.000 anos). Os livros de História situam com maior frequência os séculos em que ocorreram.
         Para descobrir o século em que ocorreu determinado fato, muitas vezes será necessário transformar o ano em século. Utiliza-se para isso regras que ajudam a obter esse conhecimento de forma rápida. Corta-se a dezena final do ano e acrescenta-se 1 ao número que restou.
     Os anos são escritos em algarismos indo-arábicos (1,2,3,4,5...) e os séculos em algarismos romanos (I, II, III, IV, V...).

Por exemplo:
1453 = 14 + 1= XV
1789 = 17 + 1=XVIII
476 = 4 + 1= V

Quando a dezena final for 00, permanece o número que restou.

Exemplo:
1500 = 15= XV
100 = 1 = I

            O calendário cristão, utilizado por nós, é o mais utilizado no mundo atualmente e foi estabelecido em 1582 pelo papa Gregório XIII.
            Os historiadores dividiram a História em períodos, para facilitar o seu estudo, sendo esta uma divisão eurocêntrica, por tomar os fatos da Europa como referência.
            A divisão da História mais utilizada é em Pré-História, Idade Antiga, Idade Média, Idade Moderna e Idade Contemporânea. Atualmente, muitos defendem que estamos vivendo em um período chamado de pós-modernidade.
            A História conta com a contribuição de várias ciências, que fornecem informações e auxiliam na construção do conhecimento histórico.
            Entre as várias ciências auxiliares da História, estão: a Arqueologia (estuda os vestígios materiais deixados pelo homem); a Antropologia (estuda o homem e sua evolução física e cultural); a Sociologia (estuda as relações entre as pessoas de um grupo social); a Geografia (estuda as relações entre o homem e o espaço geográfico). 

                                                                                                      Adelino Francklin

0 comentários :

Postar um comentário