domingo, 5 de maio de 2013

UERJ - 2013


1. (Uerj 2013)  A carteira profissional

Por menos que pareça e por mais trabalho que dê ao interessado, a carteira profissional é um documento indispensável à proteção do trabalhador.
Elemento de qualificação civil e de habilitação profissional, a carteira representa também título originário para a colocação, para a inscrição sindical e, ainda, um instrumento prático do contrato individual de trabalho.
A carteira, pelos lançamentos que recebe, configura a história de uma vida. Quem a examina logo verá se o portador é um temperamento aquietado ou versátil; se ama a profissão escolhida ou ainda não encontrou a própria vocação; se andou de fábrica em fábrica, como uma abelha, ou permaneceu no mesmo estabelecimento, subindo a escala profissional. Pode ser um padrão de honra. Pode ser uma advertência.

ALEXANDRE MARCONDES FILHO

Texto impresso nas Carteiras de Trabalho e Previdência Social.

Alexandre Marcondes Filho foi ministro do trabalho do governo de Getúlio Vargas, entre 1941 e 1945. Seu texto, impresso nas carteiras de trabalho, reflete as políticas públicas referentes à legislação social que vinha sendo implementada naquela época.
Duas características dessa legislação estão indicadas em:
a) garantia da estabilidade de emprego / liberdade de associação   
b) previsão de assistência médica / intensificação do controle sindical   
c) proibição do trabalho infantil / regulamentação do direito de greve   
d) concessão de férias remuneradas / qualificação do trabalhador rural   

2. (Uerj 2013)  Entre a posse do presidente João Goulart, em 1961, e a abertura política, iniciada em 1979-1980, a economia brasileira enfrentou conjunturas de crise e de prosperidade, perceptíveis nas variações dos índices econômicos apresentados na tabela a seguir.

As particularidades do período conhecido como “Milagre Econômico” foram caracterizadas por:
a) redução das taxas de inflação e crescimento do PIB   
b) incremento da dívida externa e retração das importações   
c) estagnação das exportações e manutenção das taxas de inflação   
d) estabilização da balança comercial e diminuição da dívida externa   
  
3. (Uerj 2013)  Guerra das Malvinas ainda divide Argentina e Inglaterra após 30 anos

No dia 2 de abril de 2012, o início da guerra pelo controle das Ilhas Malvinas completou 30 anos. O conflito, que durou dois meses e meio, marcou uma geração de argentinos e britânicos. Para os britânicos, elas são Falkland Islands; para os argentinos, Ilhas Malvinas. No mapa, a distância para o continente sul-americano é pequena. Mas, na prática, a viagem é longa. É um voo por semana, que parte do Chile. Assim, quem sai da Argentina tem que seguir primeiro para Santiago. Quase oito horas depois, chega-se ao destino. A catedral é anglicana. O pastor prega em inglês, a língua oficial, apesar de o espanhol constar do currículo escolar. Os jovens entre 16 e 17 anos podem ir para a Inglaterra cursar uma faculdade. Tudo por conta do governo britânico. São 3 mil habitantes, 62 nacionalidades, mas só 29 argentinos.
Adaptado de http://g1.globo.com.

Ocupadas pelos britânicos a partir da década de 1830, ainda hoje, como mostra a reportagem, as ilhas mencionadas são alvo de disputas entre Reino Unido e Argentina. A polêmica sobre o controle dessas ilhas é acentuada, na atualidade, pela seguinte característica da sociedade local:
a) persistência das rivalidades entre as etnias latinas e europeias   
b) isolamento da economia em contexto de globalização capitalista   
c) vigência de costumes em oposição aos ideais pan-americanistas   
d) valorização do nacionalismo por meio da defesa da identidade cultural   
  
4. (Uerj 2013)  Observe a imagem abaixo, do episódio ocorrido nos E.U.A., no dia 11 de setembro de 2001.

A queda das torres do World Trade Center foi certamente a mais abrangente experiência de catástrofe que se tem na História, inclusive por ter sido acompanhada em cada aparelho de televisão, nos dois hemisférios do planeta. Nunca houve algo assim. E sendo imagens tão dramáticas, não surpreende que ainda causem forte impressão e tenham se convertido em ícones. Agora, elas representam uma guinada histórica?
ERIC HOBSBAWM (10/09/2011)
www.estadao.com.br

A guinada histórica colocada em questão pelo historiador Eric Hobsbawm associa-se à seguinte repercussão internacional da queda das torres do World Trade Center:
a) concentração de atentados terroristas na Ásia Meridional   
b) crescimento do movimento migratório de grupos islâmicos   
c) intensificação da presença militar norte-americana no Oriente Médio   
d) ampliação da competição econômica entre a União Europeia e os países árabes   
  
5. (Uerj 2013)  O alemão Franz Boaz foi o primeiro a ressaltar a importância do estudo das diversas culturas em seu próprio contexto, a partir das suas peculiaridades. Boaz ressaltava não haver cultura superior ou inferior. Para ele, deveriam ser considerados os fatores históricos, naturais e linguísticos que influenciavam o desenvolvimento de cada cultura em particular.
Adaptado de LUCCI, Elian A. e outros. Território e sociedade no mundo globalizado: geografia geral e do brasil. São Paulo: Saraiva, 2010.

A abordagem apresentada no texto foi desenvolvida a partir do início do século XX e originou uma nova perspectiva das ciências sociais em relação ao estudo das culturas. Essa perspectiva é denominada:
a) relativismo   
b) materialismo   
c) evolucionismo   
d) etnocentrismo   
  
6. (Uerj 2013)  A despeito da diversidade e das distâncias regionais, um fenômeno é sempre mencionado quando se trata do Brasil: uma única língua oficial, o português, é reconhecida em todo país. Mas não é a única falada. Estima-se que, antes da colonização pelos europeus, falavam-se cerca de 1.200 línguas indígenas no país. Hoje, restam 181 línguas faladas por povos indígenas.
ARYON DALL’IGNA RODRIGUES
Adaptado de BOMENY, Helena e outros. Tempos modernos, tempos de sociologia. São Paulo: Ed. do Brasil, 2010.

A realidade sociolinguística no Brasil atual resultou de um conjunto variado de experiências históricas. No contexto das heranças da colonização portuguesa, a situação atual das línguas indígenas, apresentada no texto, decorre diretamente do seguinte fator:
a) extensão territorial   
b) miscigenação racial   
c) assimilação cultural   
d) dispersão populacional   
 
Gabarito:  

Resposta da questão 1:
 [B]

Durante o Estado Novo, a política varguista preservou as características populistas, marcadas pelo assistencialismo e pelo controle sobre os sindicatos. Esse modelo de relação entre o Estado e os trabalhadores foi denominado populismo. A Carteira de Trabalho foi instituída em 1932 apenas para os trabalhadores urbanos e reforçou a ideia de que o governo protegia os trabalhadores e lhes dava garantias mínimas.  

Resposta da questão 2:
 [A]

“Milagre econômico” foi uma expressão criada para designar o período entre 1969 e 1973, apogeu da ditadura militar, durante o governo Médici, que criou uma ideia de prosperidade econômica devido à redução da inflação, elevação dos níveis de emprego, aumento do consumo por meio de crédito a longo prazo e juros baixos. Foi a época de grande ingresso de empresas e capitais estrangeiros, com acentuado aumento da dívida externa.  

Resposta da questão 3:
 [D]

O domínio britânico existe há quase dois séculos, mas o nacionalismo da população local foi reforçado desde a Guerra das Malvinas, em 1982, quando a Argentina pretendeu recuperar a posse do território.  

Resposta da questão 4:
 [C]

A partir do texto, pode-se compreender que a visão do autor não considera o evento descrito como responsável por mudanças significativas, uma vez que a presença dos Estados Unidos no Oriente Médio já existia, com caráter imperialista. Tal presença pode ter sido intensificada e obteve maior apoio internacional, mas, de fato, não representou uma novidade.  

Resposta da questão 5:
 [A]

A ideia de “relativismo” leva em consideração a posição de quem faz a análise e procura compreender outras possibilidades, considerando que indivíduos em posições diferentes tendem a observar um mesmo fenômeno social sob ângulos diferentes.  

Resposta da questão 6:
 [C]

O processo de colonização implicou não apenas a conquista territorial, mas a eliminação ou assimilação dos povos nativos. A maior parte das nações indígenas foi exterminada ao longo do tempo. Algumas expressões – ou mesmo palavras–, principalmente do Tupi, foram incorporadas ao vocabulário dos brasileiros.  

0 comentários :

Postar um comentário